sexta-feira, 10 de abril de 2009



E disse Deus à humanidade:
Olhe, eu fiz você criança
para que sempre possa abrir uns olhos novos
e rir diante da morte ou se voltar a mim,
alvoroçada de medo ou de esperança,
e sentir-me Papai, Mamãe, Ternura.

Eu fiz você criança para que brinque sempre
com todo esse brinquedo do universo infinito.
Sem quebrá-lo, porém, e sem se machucar,
minha pequena!

Sempre brincando juntos os irmãos e as irmãs,
iguais no jogo!
Agora estamos em um novo milênio,
para você brincar...
Não vá crescer demais.
Não vá querer soltar-se de minha mão, pequena!
Não vá fazer da vida um banco,
um mercado, um navio de guerra!

Venha, me olhe bem no face a face:
Não está vendo meus olhos em seus olhos?
Cada dia amanheço neste breve horizonte
de seus dias, pequena.

Cada noite aconchego sua lua espantada.
Sempre estou acolhendo seus tropeços,
seus sonhos, seu amor, sua vida,
que é minha pequena!

Nenhum comentário:

Postar um comentário