terça-feira, 17 de novembro de 2009

Como enfrentar o vestibular

O final de ano trás de volta a tensão a milhares de jovens. A proximidade dos vestibulares, cada vez mais concorridos, gera ansiedade e provoca mudanças no humor dos estudantes. Colocar à prova toda a preparação de um ano de estudos não é uma tarefa simples e exige uma preparação extra dos candidatos, que devem estar física e mentalmente condicionados para suportar a bateria de provas. A primeira etapa do vestibular da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que ocorre daqui a exatos 18 dias, terá mais de 70 mil estudantes disputando pouco mais de 4,5 mil vagas. No instante final de preparação, disciplina e descontração devem caminhar juntas para não gerar um quadro de estresse.

Confiança e muito estudo não faltam ao estudante Lucas Braga, de 18 anos. Ele vai disputar uma vaga para o curso de engenharia de produção, na UFMG. Diferente da maioria dos adolescentes, que prefere não arriscar a sorte e faz inscrição em várias instituições, Lucas só vai prestar vestibular na Federal. É o curso que eu quero e a universidade que escolhi. Se não conseguir passar este ano, não tem estresse, afirma. A rotina de estudos no 3o ano do ensino médio no Colégio Magnum inclui aulas todas as manhãs e reforço à tarde pelo menos três vezes por semana. Além das atividades escolares, ele não dispensa as quatro horas diárias de estudo em casa, no período da noite.

Para superar a concorrência de 10,41 candidatos por vaga, estabeleceu uma meta de pontuação na primeira etapa: acertar no mínimo 90 das 120 questões. Com isso, espera passar para a segunda etapa sem grandes surpresas. Para cumprir o objetivo, Lucas planejou cuidadosamente as atividades durante o ano. Comecei tranqüilo e sabia que iria atingir o máximo do meu desempenho em novembro e dezembro, junto com as provas da UFMG, argumenta.

A tática de Lucas é diferente da estratégia usada pelas estudantes Luciana Resende e Jordana Generoso, ambas de 18 anos. Apesar de não deixarem os estudos de lado, elas preferem relaxar nos momentos de folga à medida que se aproxima o dia do vestibular. Começamos o ano muito tensas com o ritmo do 3o ano e agora procuramos relaxar, diz Jordana, que tenta uma vaga no curso de direito. Segundo as amigas, a maior dificuldade foi conciliar as provas e notas da escola com a preparação específica para o vestibular.

Apesar de nenhum dos três estudantes ter participado do vestibular do Centro Universitário Newton Paiva, a divulgação do resultado na semana passada mostrou o quanto pode ser alegre ou triste a reação, dependendo do caso. Alguns dos nossos colegas passaram e fizeram festa, outros não conseguiram e ficaram decepcionados. Foi bom para perceber como é difícil e importante o vestibular, comenta Luciana.

Dentro de casa, as mudanças são sentidas pelos estudantes. Todos contam com o apoio irrestrito da família, mas, apesar de velada, a pressão não passa despercebida pelos jovens. Minha mãe diz que se eu não passar está tudo bem, mas eu sinto que ela também fica angustiada, afirma Luciana. Para combater a ansiedade dos alunos e evitar as causas de estresse, o Colégio Magnum promove o Pit Stop. O nome é referência à Fórmula-1, quando o carro para no box para reabastecer e trocar os pneus. Assim como no automobilismo, os estudantes têm uma parada, ainda que rápida. Durante dois dias os jovens esquecem os estudos e participam de diversas atividades para relaxar.

A psicóloga e orientadora vocacional Mariza Tavares Lima convive há vários anos com a tensão dos estudantes às vésperas dos vestibulares. Segundo ela, é saudável fazer revisões e estudos pontuais nas semanas anteriores às provas. Entretanto, alerta que é inadequado passar o dia inteiro grudado nos livros. O estudo excessivo pode aumentar ainda mais a ansiedade e o descontrole emocional. Para muitos estudantes, não passar no vestibular representa a primeira experiência de grande frustração. É como um alpinista que se preparou o ano inteiro para escalar uma montanha e não consegue atingir o topo. O jovem deve estar ciente de que a montanha continuará ali e mesmo que enfrente alguns insucessos, não deve desistir.

Fazer o que gosta é importante para manter a mente e o corpo descansados. Passeios, leitura sem compromisso e conversas com amigos são essenciais para manter os pensamentos distantes da tensão. Exercícios físicos e atividades esportivas, sem exageros, são as melhores maneiras de relaxar os músculos e liberar toxinas. As refeições merecem atenção redobrada, para evitar surpresas desagradáveis.

O candidato e sua família devem estar prevenidos para a hipótese de não aprovação. Infelizmente, a maioria não passa e, nesse momento, os parentes devem prestigiar o esforço, alerta Mariza.

Dicas
Evite estudar muito na véspera do vestibular para não aumentar o nervosismo e a ansiedade. Tente se distrair com outra atividade.
Faça o que lhe der prazer: ler, passear, assistir à TV, praticar esportes etc.
Não passe noites acordado em bares ou boates. O sono é primordial para a concentração e o bom rendimento.
No dia da prova tome um café da manhã reforçado, mas opte por um almoço mais leve, já que refeições pesadas podem causar sono e retardar o raciocínio. Evite ingerir alimentos gordurosos. Mantenha-se hidratado com muita água e suco de frutas.
Chegue dentro do prazo exigido ao local da prova. Não saia tarde de casa, pois o trânsito e possíveis atrasos geram grande descarga de adrenalina, desnecessária ao candidato.
Leia atentamente as questões da prova e planeje mentalmente as respostas escritas, no casos de questões discursivas

Nenhum comentário:

Postar um comentário