terça-feira, 17 de novembro de 2009

Os desafios de cada um - Como enfrentar o Vestibular?

Os Jogos de Pequim chegaram ao fim, deixando registrado na História as conquistas dessa Olimpíada. As oportunidades passaram, algumas bem aproveitadas, outras nem tanto, mas para muitos ficaram os ensinamentos que podem ajudar em novos desafios.

O que extraímos dessas competições para o nosso dia-a-dia? Precisamos nos preparar mais para conquistar a vitória? Prever os acasos e incidentes? Adquirir mais conhecimento? Então, seria algo como treinar, treinar, treinar... Mas, isso não chega a ser uma novidade...

Novidade é Michael Phelps, portador de TDAH, que, apesar de uma trajetória comportamental de altos e baixos, determinou metas para sua vida e teve como resultado inúmeras medalhas. Traçou como estratégia um treinamento diário de 5 horas, que resultou na criação de uma técnica para ganhar "segundos" e conseguiu até mesmo a diferença de 1 centésimo do seu adversário. Outro que poderíamos citar é o jamaicano Usain Bolt que, por ter a saída mais lenta que seus adversários, utiliza a grande passada para atingir sua meta. E, assim, ocorreu com outras categorias, levando o mundo a vibrar, a torcer e a pensar sobre os vários aspectos da competição e da quebra de recordes de dezenas de anos.

Tais referências merecem uma reflexão porque sempre enfrentamos dificuldades e desafios na vida. Por exemplo, tantos jovens brasileiros encaram a cada ano uma competição estressante, que é o vestibular. Para muitos é estudar, estudar, estudar, pois dependendo da área, o grau de dificuldade cresce, porque aumenta a relação candidato/vaga.

Para você que está vivendo, no momento, esse desafio, eu pergunto: quais as suas estratégias para atingir sua meta, ou até mesmo superá-la? Quais as suas táticas para garantir o lugar na Universidade que você deseja? Escolher uma área de menor procura, para reduzir o esforço? Freqüentar um curso com maior número de sucessos nos vestibulares anteriores? O grifo é proposital, porque alguns alunos decidem apenas cursar, sem estudar o suficiente, se preparando insatisfatoriamente para disputar uma vaga no curso escolhido.

Como vimos com os atletas, criar estratégicas e táticas para constantemente melhorar a performance (no caso do vestibular, ampliar a própria capacidade de reter, transferir e analisar conhecimentos) é fundamental. Já pensou nisso? Provavelmente você está se perguntando: "O que eu posso fazer para melhorar minhas condições pessoais?" Então, seguem algumas dicas de estudo. Veja o que você já está aplicando, acrescente, crie e aperfeiçoe.

1 - Monte um quadro com a agenda semanal: horas de sono x horas para atividades. Na parte das atividades use as horas corretas, não as horas aproximadas. Disciplina é fundamental!

2 - Se tem dificuldades de atenção e concentração, utilize pequenos intervalos, fracionando o tempo disponível. Cada um tem o seu timing, então comece estudando 30 minutos e descansando 5. Pode mudar o tempo, conforme perceber que está rendendo mais.

3 - Busque fazer uma atividade física, pelo menos, três vezes na semana, para reduzir o stress, que nesta fase sempre fica acima do esperado.

4 - Estude uma matéria de cada vez. Comece pela que você menos gosta ou, melhor ainda, pela que você tem mais dificuldade.

5 - Quando estiver estudando, evite aparelhos ligados, tipo computador, MP's, TV, que são estímulos que desviam a atenção e consomem tempo.

6 - Faça um gráfico quantificando seu aproveitamento / crescimento. Estes números irão traduzir o que está dando certo.

7 - Evite bebidas alcoólicas. O álcool atrapalha o funcionamento da memória, que é essencial para a retenção do aprendizado.

8 - Busque ter um espaço só para estudos, negocie com os pais e irmãos a questão do seu tempo, do seu momento, visando diminuir as interrupções.

9 - Muitas vezes estudar em grupo dá certo. Ajuda a tirar dúvidas, a reforçar temas, a descobrir dicas, a gerar debates sobre assuntos mais complexos, o que clarifica e, ainda, facilita a memorização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário